Não. As informações disponíveis demonstram que as vacinas não oferecem proteção completa à infecção viral, podendo o indivíduo ainda representar risco de transmissão para a comunidade. A suspensão das medidas de mitigação deverá ser implementada de forma gradual e planejada, de acordo com a obtenção da melhoria expressiva e sustentada dos indicadores epidemiológicos.